Follow by Email

segunda-feira, 5 de março de 2012

PEDAGIO PARA OS CÉUS



Se existe uma coisa que não se discute é a fé de uma pessoa, mas a religião é sim discutível e questionável, porém jamais condenável, pois a cada um cabe o direito de crer naquilo que lhe faz bem.Entretanto como contribuinte e cidadão, creio que todos devem concordar que é um absurdo tremendo no país dos impostos excessivos, igrejas terem total isenção fiscal. Porque este direito diferenciado se é um negócio e um dos mais rentáveis do momento? É bom quando se tem o nome de Deus como sócio, já que O mesmo não se interessa por bens materiais, portanto trabalha sem receber e sem reclamar. Pastores são presos no exterior com quantias absurdas de dinheiro não declarados, aviões milionários de igreja são presos com contrabando de divisa, e nada disto abala a fé do pobre fiel que se esquece de que Deus não tem procurador na Terra. Ao menos com firma reconhecida e assinada por ele, DEUS, não há! A sua fé tem de estar contida na palavra de Deus e na sua e não na de outra pessoa que acredite você, tem os mesmos poderes que o seu, com a diferença que se comunica melhor e decorou mais passagens da Bíblia. O fundamentalismo é algo tão absurdo que o “mental” da frase, praticamente não existe. Matar alguém em nome de Deus, por exemplo, nem de longe me parece um ato nobre e aprovado pelo Criador. Um pastor que grita aos quatro cantos que homossexual não é gente, que negro é raça inferior e que esta na Bíblia que dez por cento de tudo que você ganha tem de ir pra ele, me mostra claramente quem de fato ele segue, e não é bem quem você esta pensando, mas sim o antagonista da história. Há uma frase do poeta Willian Blake que retrata bem a religião: “Nós dois lemos a Bíblia dia e noite, mas tu lês negro onde eu leio branco.”A religião hoje nada mais é do que um desencontro de informações na maioria dos casos. Eu sou agnóstico e assumo minha total ignorância com relação ao desconhecido. Minha fé não é questionável, eu repito, mas a minha crença pode ser, assim como a sua também, desde que nos respeitemos. A religião hoje tem se tornado uma espécie de cabine de pedágio para o céu. Há até boleto bancário em nome de Deus (não é piada e sim fato) com parcelas e as pessoas PAGAM. Eu posso garantir a vocês com toda a minha ignorância, já que não sou tão sábio quanto pastores, de que Deus ficaria muito mais feliz contigo, se você doasse esta parte de seu salário na compra de comida pra quem tem fome, roupa pra quem tem frio, educação para quem carece de informação, remédios para quem precisa, tudo seria muito mais bem empregado do que bancar mais um cômodo na mansão de veraneio do seu querido pastor ou o emplacamento do carro importado dele. Estes tais que cobram-lhe taxas divinas em troca de fé e uma aproximação direta com O Pai Celestial, me parecem mais seguidores do inimigo diabo do que de Deus, afinal não é este primeiro quem é atraído por bens materiais? A frase mais conhecida não é a de que o pecado favorito do diabo é a vaidade humana? Se Deus quisesse que o homem não fosse sábio não teria dado a ele a faculdade do saber. Então, usem a mente, meus fiéis seguidores e sejam bons uns com os outros. Preguem uma única ação que é bem simples e não custa nada: O AMOR! Eu não duvido de Deus. Duvido é de seus representantes. Pastores e líderes espirituais deveriam saber que é muito bom ser importante, porém bem mais importante é ser bom. Para isto não precisamos de carros de luxo, roupas de marca, etc, afinal, quem gosta de panos e vestes caras é o diabo, não é? Jesus ao que me consta levava uma vida bem humilde. Ainda fico com minha ignorância socrática do saber que nada eu sei e sigo minha vida com a simples mensagem de Jesus: “Minha religião é o amor a todos os seres vivos.”

Um comentário:

@silvanoanubis disse...

parabéns cara muito bom. vou levar a frase: "“Minha religião é o amor a todos os seres vivos.”" pro resto da vida.