Follow by Email

quinta-feira, 18 de julho de 2013

SER OU NÃO SER HUMANO?

O ser humano é uma ilha cercada de ego e medo por todos os lados. Por causa disto, há gente que adora arrumar desculpas para as suas atitudes jogando a culpa nos signos do zodíaco. Ao invés de dividir toda a raça humana em doze tipos, porque não resumir mais ainda e dividi-la em apenas dois: o que humilha e o que é humilhado.
Eu faço parte do segundo grupo. Enquanto o primeiro sofre de auto valorização de si mesmo, o segundo sofre de auto desvalorização. O problema é que um se julga acima do restante do mundo, o que o torna próximo ao super-homem de Nietzsche, enquanto o outro, frágil, se sente abaixo. Ambos se aborrecem, um com mais intensidade (segundo grupo) do que o outro, e ambos esquecem que pessoas e coisas não nos aborrecem. O que nos afeta é acreditar que elas têm poder para isto. No fundo tudo é fruto do medo. O que humilha, o faz por medo de ser superado e o humilhado, o faz pelo medo de sentir culpado, mesmo sem sê-lo. Um dos maiores nomes da psicologia mundial, Albert Ellis, dizia que os melhores anos da sua vida são aqueles em que você decide assumir seus problemas e percebe que é você, apenas você, quem de fato controla o seu destino. Evidente que a ignorância também é uma benção.
No mundo de hoje quanto menos se pensar, infelizmente, lhe traz mais benefícios, já que vivemos a era da mediocridade, onde qualquer um pode ser feliz, mas para ser infeliz, requer um aprendizado. Qualquer pessoa que enxergue além ou que pense fora da caixa, se fere ao notar que o mundo está distante de ser um lugar bom para se viver. Mas em contrapartida, se todos nós pensássemos com toda força nisto, mudaríamos a rota deste mundo. É inconcebível fechar os olhos, desligar o cérebro e se deixar levar pela onda de estupidez que assola o universo. A mídia, como um todo, colabora de maneira agressiva para que de fato você se desligue da realidade. Enquanto uma criança de cinco anos é assassinada de maneira covarde, fria e monstruosa por um elemento sórdido, que não soma em nada à existência do planeta, discute-se futebol, verdadeiro ópio das multidões.
Estamos tão hipnotizados e distantes que ignoramos fatos como este, da pobre criança, porque somos felizes, então temos de celebrar. E que venha o próximo jogo e o próximo assassinato cruel e impune. A presidente do país sugere um plebiscito que serve como placebo diante de uma crise astronômica, mas ninguém contesta. É nítido que tal sugestão só acarretará em mais dinheiro pelo ralo (com todo processo eleitoral) e favorecerá quem não deveria: políticos. Basta dizer que um cidadão que foi condenado pela justiça, não está preso, é deputado e ainda faz parte de comissão de justiça é favorável a este plebiscito. Que tal você pular de uma cadeira para ver se seu cérebro pega no tranco e perceber o absurdo que se aproxima enquanto você com os dentes cariados sopra uma corneta e grita gol?
Esta na hora de pensar, pois esta felicidade boçal, estúpida, não nos cabe mais. E àqueles que dizem: “quanto mais conheço o ser humano, mais amo meu cachorro”, reflita (não dói, juro) que o pobre animal (neste caso, o cachorro) não fala e muito menos tem poder de argumentação, caso contrário, até ele não lhe suportaria e talvez lhe dissesse verdade que doeriam mais que uma mordida. Os radicais dizem que preferem viver entre animais. Ok, então deixe seu IPhone em casa, desconecte-se da internet e da TV, use apenas uma cueca (ou calcinha) e se aventure no meio da mata. Com toda certeza do mundo, o primeiro contato olho a olho com um tigre, talvez lhe faça mudar de ideia, ao perceber que o poder de argumentação da mata é pior que o seu movido a música sertaneja e funk e os tais signos lá são apenas dois: predador e presa. Bem vindo ao seu habitat real, a civilização, lembrando que aqui nesta terra de cegos, quem tem um olho não é rei, mas sim, louco. Mas a loucura nem sempre é apenas o caos. Ela pode ser também a transformação!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

QUANDO A EDUCAÇÃO TAMBÉM PROTESTA

E aí com a força dos protestos conseguimos derrubar o preço da passagem, mas é cedo para comemorar, já que governador e prefeito disseram que este "prejuízo" vai ser contabilizado em outras áreas, menos na que inclui centenas de cargos novos para seus favorecidos, jogando assim pelo ralo o nosso dinheiro. Não gritem vitória, meus amigos e não subestimem o lado negro da força, pois este aumento vai vir em breve, podem escrever. Já a demissão desta turma comissionada, nem se cogita.
Aí vencemos mais uma batalha nas ruas e a tal PEC 37 foi revogada, porém, assim como Jason da série Sexta Feira 13, ela pode voltar também e mais forte, não duvidem disto. Mas é inegável que a nossa força nas ruas tem mobilizado não só o país como o mundo e desta forma a imagem vendida pela presidenta foi desmascarada como já citei em outro artigo. As ruas ganharam força e até o Feliciano, conhecido por toda sua arrogância, já postou um vídeo "simpático" se explicando sobre a tal "cura gay", afinal quem tem orifício, têm medo. Eu sempre fui um ativista e quem me acompanha por aqui sabe disto. Minha motivação é tentar fazer as pessoas pensarem diferente do que se vê na tela da TV e que na maioria das vezes, é pura propaganda. Meu maior desejo é que todos possam viver num país justo e no mínimo digno. Tenho um orgulho imenso desta geração e acima de tudo das pessoas que estão
lá do lado de fora de estádios superfaturados com a nossa grana enquanto os tolos vestidos de verde e amarelo gritam: "Neymar, eu te amo". Chegou a hora de conquistarmos mais coisas para se mudar um país. Limpar o congresso é nossa próxima exigência, então vamos à luta. Rua para todos estes criminosos, independente de partidos, que ocupam cargos públicos. Rua para deputados evangélicos que querem destruir um estado laico, como a tal deputada que esta semana teve a cara de pau de usar o plenário como palco de show de calouros, “cantando” músicas de "louvor" do seu disco. Faça-me o favor, ali vocês são pagos e muito bem pagos para trabalhar pelo povo e não fazer "showzinho brega". Respeitem a opção de cada um, seja ela sexual, religiosa, ou qualquer uma que o valha. Sigam o exemplo daquele que vocês promovem: Jesus. Este não tinha preconceitos, não era materialista e lutava de verdade em prol dos necessitados.
Respeito é fundamental e a base para um bom governo.E se quer fazer valer seu mandato e dinheiro, que tal promover o Brasil e começar já com uma lei para acabar com a da imunidade tributária das igrejas? Afinal isto é muito mais imoral do que homens ou mulheres fazem num quarto escuro quando se amam, não acha? Mas voltemos sim às ruas e aos manifestantes fica o conselho de que quando se pede educação, que esta não refira apenas a adquirida na sala de aula, mas sim a que se adquire na sala de estar de casa. Vamos todos juntos agora lutar pela educação, onde se respeite ciclistas e faixa de pedestre; que se respeite vaga de estacionamento para deficientes; que se respeite idosos; que se respeite professores; que não se cometa bullying;
que não se bata numa mulher; que não ouça funk no último volume; ou melhor, que se possa valorizar mais o que entra em seus ouvidos; que se desligue um pouco a TV e se leia mais livros; que pare de se importar com a vida de astros e famosos e foque mais na sua; que gaste mais tempo educando seus filhos do que esquentando balcão de boteco ou salão de cabeleireiro; que não se agrida mais torcedores do time adversário; que não sejamos corruptores, afinal o Brasil é o único país que tem corrupto, mas não tem corruptores; que se valorize mais a polícia,nmédicos, bombeiros, professores e se valorize bem menos jogadores, cantores sertanejos e apresentadores de TV que em nada contribuem com sua vida; enfim, temos muita coisa para mudar, que tal começarmos estas manifestações particulares dentro de cada um de nós? Podemos surpreender e ser surpreendido! Não se faz um bom país apenas com políticos honestos, mas sim com um POVO educado e informado!