Follow by Email

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Surpreendido em Bangkok


“Aquele que já não consegue sentir espanto nem surpresa está, por assim dizer, morto; os seus olhos estão apagados.” Esta frase é de Albert Einstein, o homem que surpreendeu o mundo com suas idéias e sua teoria da relatividade. Meus caros sete leitores, quem é que não gosta de ser surpreendido? Imagine você, minha leitora, recebendo um buque lindo de flores, do gato que te levou pra jantar na noite anterior. E você, meu caro leitor, no motel com sua namorada e ela esta com uma lingerie da Victoria Secrets, dedicada a você. Ou então, tu puxa seu extrato bancário e lá está um depósito de uma dívida que você achou que nunca mais receberia. Tu chega em casa e descobre que tua sogra se mudou pra Bismânia. Enfim, todo mundo aprecia ser surpreendido por notícias boas. Em contrapartida ninguém gosta de ser surpreendido de outra forma, como por exemplo ser flagrado pelo marido de sua amante, na cama dela amarrado pelas gravatas italianas dele. Ou descobrir que depois de uma bela evacuada, não há papel higiênico no banheiro. Entre outras coisas que não são agradáveis a nos surpreender. Porém, esta semana tive uma boa surpresa nos cinemas. Todos sabem que não sou fã de Nicolas Cage. Continuo achando ele um grande canastrão, mas de fato o moço as vezes me surpreende. Foi assim em Despedida em Las Vegas e assim em Senhor das Armas (aliás dois roteiros que sou apaixonado) e desta vez o moço me surpreende no intrigante e sombrio Perigo em Bangkok, onde Nicolas faz um assassino de aluguel em crise existencial que se apaixona por uma surda muda em Bangkok, que evidentemente irá interferir no seu bom desempenho profissional. Ossos do ofício, claro. Apaixonou, se ferrou e claro prepare-se: será surpreendido! Pode ser com uma gravidez indesejada, com um pedido de casamento, com uma belo par de chifres, ou quem sabe com algum membro extra em sua “amada” assim como um certo craque de futebol foi surpreendido logo por três, mas isto é outra história, que já não surpreende mais a ninguém. Voltando ao filme, o roteiro é bem amarrado, a trama envolvente e a maior surpresa: Nicolas ta mandando bem na atuação! Ta certo que não é nenhum personagem complexo de se fazer, mas vindo de Cage, até que é uma atuação digna de prêmio e desta vez não é Açaí de Lata. O final também surpreende, pois não é daqueles óbvios, como de costume em Hollywood. Este desperta atenção e não é nada previsível. Fui surpreendido e recomendo a todos este bom filme. Mas por falar em surpresas, como estamos bem perto das eleições, insisto no tema, porque convenhamos, por mais que você não se importe é isto que decide boa parte do seu futuro por quatro anos, você querendo ou não, então pense em como surpreender certos candidatos. Que tal surpreender aqueles candidatos com os malditos jingles chiclete, de mal gosto e porque não mal educados, que ficam gritando no seu ouvido diariamente? Você pode surpreende-los com a resposta perfeita pra eles: o silêncio! Sim, o silêncio que você tanto clamou ao ouvir estas versões de péssimo gosto dilatando suas orelhas, você responde na urna. Seu dedo em silêncio, se recusando a votar nestes malas sem alça e sem o menor respeito por você. Outra forma de surpreender candidatos é você fazer no dia da eleição, o que aquele candidato que hoje lhe aperta a mão e lhe dá abraço na rua, faz com você fora de eleição, que é ignorá-lo. Então, tu faça igual. No dia da eleição, ignore-o! Ele nem vai ficar sabendo, e mesmo se ficar, quem se importa, afinal você nunca mais vai vê-lo mesmo nos próximos quatro anos, quer ele vença ou não. Mas a melhor forma de surpreender mesmo é fazer com que candidatos que já se considerem vencedores, se coloquem em seu devido lugar, que não seria o das cadeiras almejadas e sim o divã de um analista para refletir as graves consequências de seu egocentrismo. Sabe candidatos que ignoram por completo seu direito à informação e nem sequer comparecem a debates ou nem fazem comício, nem apresentem projetos, nada. Aqueles que já se candidatam vencedores? Então, estes, você tem de surpreendê-los e deixar a humildade dar-lhes a maior lição de suas vidas ao perceberem que nunca em um jogo ou em uma eleição a vitória já existe antes do final. Surpreenda-se sempre e aprenda principalmente a surpreender, meu caro amigo, afinal de surpresas se bota o mundo pra girar, sejam elas boas, sejam elas más, o importante é surpreender sempre mais do que ser surpreendido!



PUBLICADA NO JORNAL GUARULHOS HOJE DIAS 27 E 28 DE SETEMBRO DE 2008

Um comentário:

viviane disse...

legaus!!!!!!!!gostei do teu blog!